É um tormento

I

A saudade é um tormento
Como o vento
Quando sopra nas colinas
E se rebela
Contra as àguas cristalinas
Fazendo ondas
Tenebrosas na ilusão
Mas, por amor.
E sem querer
Eu fiz da vida a natureza
Fiz da saudade
Um riacho de tristezas
E da esperança
Um sol cheio de calor.

II

Para mim esta saudade
que invade
o coração tão de repente
Penetra
Sem razão dentro da gente
Alimentando
A ânsia louca de viver
Até encontrar,
O grande amor
Seu ideal que tanto espera
Como as flores
Que só vêm na primavera
Mas com certeza
Que ela um dia vai chegar

III

Noite calma enluarada
Não há nada
Ao meu redor estou sozinho
E pelas trilhas
da esperança eu caminho
Deixando rastos
De saudade aonde vou
Mas eu não sei
Se estou tentando
Uma fuga de  mim.  Mesmo,
que eu procure
o grande amor que está a esmo
Pra libertar
Da provação que já passei.

IV

Tempo frio, vento em sêco
Estou num bêco
Parecendo folhas mortas
è tudo triste
Onde estou, mas não importa
Sei que um dia
vai chover e eu vou sair
Deste lugar
Se a saudade
Arrastou-me assim na lama
A esperança
Já tirou-me e pôs na cama
Junto do amor
com quem sonhei vou despertar.