066 Vou Despenar

As Letras ” A B e C”, correspondem às Cordas ” MI SI e SOL” e as suas
respectivas Casas, ao longo do braço do Violão.

A > 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0.1.2.3.4.5.6.7.8.9. 0: 1: 2: 3:

B > 0- 1- 2- 3- 4- 5- 6- 7- 8- 9- 0= 1= 2= 3=4 = 5= 6= 7= 8= 9= 0& 1& 2& 3&

C > 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 0; 1; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 0§ 1§ 2§ 3§

 

Vou despenar  (MI +)

(Hoje vou despenar as periquitas
0- 0- 0   0 0 0   4   2 0 2 2-
(Das feias e das bonitas
5   7 7- 5  7   4 2 0

No meu carnaval
9   2.  1.9 7
As penas vão voar.
4  5 9    7    67
Se eu arrancar as penas velhas,
1  2  2 2 2    4-  2 5   9 7
Nascem as novas no lugar.
2.  2.        9  1. 9    5   2 0

Pereiras Pereiras

Pereiras Pereiras

I
Pereiras Pereiras

Terra aonde nasci,

Sou um simples seresteiro

Por isso vivo aqui.

II
Cheia de encantos

Esta pequena cidade,

É o leito das poesias

E berço da felicidade.

III
Noites e Noites

eu fico pela Cidade

Cantando minhas canções

Alegrando a mocidade

Com meu violão

em noites enluaradas

Eu e os colegas cantamos

Enfeitando as madrugadas.

Pereiras, Doroti de Góes
Outubro de 1.970.

Aqui no Nordeste

Aqui no Nordeste
——————

I

Aqui no Nordeste sempre

Com fome sede e aflição

Pisamos na terra quente

Queimamos o coração

Sob este Sol ardente

Que incendeia o Sertão

Vão morrendo lentamente

Gado, gente e plantação

Por isso pego a viola

Só ela que me consola

Nas noites que tem Luar

Então

Eu vou cantar

E choro

No braço desta viola

Me calo

E me ponho a rezar.

Estr.

Ave Maria cheia de graças o Senhor é Convôsco

Bendita Sois Vós entre as mulheres

E Bendito é o Fruto do Vosso Ventre, JESUS.

Santa Maria Mãe de DEUS

Rogais por nós pecadores

Agora e na hora de nossa morte. AMÉM.

II

Hó meu DEUS Onipotente

Faça chover no Sertão

Tenha ao menos dó da gente

Enchendo o ribeirão

Já secaram as vertentes

Só há poeira no chão

O que guardamos pra semente

Pusemos no caldeirão.

Por isso pegoa a viola

Só ela que me consola………….

Sofro Tanto

Dedilhando o Violão

As Letras ” A B e C”, correspondem às Cordas ” MI SI e SOL” e as suas
respectivas Casas, ao longo do braço do Violão.

A > 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0.1.2.3.4.5.6.7.8.9. 0: 1: 2: 3:

B > 0- 1- 2- 3- 4- 5- 6- 7- 8- 9- 0= 1= 2= 3=4 = 5= 6= 7= 8= 9= 0& 1& 2& 3&

C > 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 0; 1; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 0§ 1§ 2§ 3§
Sofro Tanto  (LÁ -)
————
I

Sofro tanto/ por amar.   MI+/ LÁ-
3  1    1   0/     3  1  0
Quem um dia/ me deixou   MI+/ LÁ-
3          1  1 0 /    3  1  0
Foi embora    SOL+
1  0  3 3
Nâo sei pra onde   DÓ+
1   1   0  3  3
Por isso agora,    M+
0   1   0 4 0
Aqui estou.   LÀ-
0 0 3- 1-
Sempre chorando/ amargurado   RÈ-/ LÁ-
5  7       5  1  3- /      5  7  5 0 1-
Pois sem você,/ tudo acabou.   M+/ LÀ-
0    1  4-  0 /      3- 0- 1- 2,

Refrãoa:

(Eu agora estou/ triste    LÁ-/MI+
0   0 1 0    4-0   /   2. 2.
(Tudo enfim,/ morreu   M+/ LÀ-
0. 8    7     /      5  8
(Quem eu amo foi/ embora   LÁ-/ M+
0    0    1  0  0 /    4- 0 7 7
(Nem me disse / adeus.   M+/LÁ-
7   5        4   /   4  5

II

Noites frias / sem Luar.

Não tem graça / o amanhecer.

É tudo triste

Por onde passo

Pois nâo existe

Nem pode haver.

Amor tão grande / como de outrora

Que eu nunca mais / pude esquecer.

Refrão:

Filósofo Epicuro

Filósofo Epicuro

—- Não precisamos temer a morte, porque a morte não existe, isto é:
Enquanto somos, ela não existe e ela
só passa a existir, quando deixamos
de ser.
Do Livro: O mundo de Sofia.

Mude o lugar, mas não mude de lugar.
Ou, mude de lugar, mas não mude o lugar.

Apolinário P.O.Filho.

Meu Amor/As Flores

 O Meu Amor

“O meu amor é tão profundo,
Já nasceu mas, ninguém vê.
Até morreu pra todo mundo,
Pra viver só pra você!”

Eu Te Amo Minha Linda!

Parabéns pelo 6.1 Maravilhos!

Apolinário P.O.Filho.
/////////////-
As Flores

As flores que eu cultivo, no canteiro do jardim,
São as flores mais bonitas, que já vi na minha vida.
Flores belas, perfumadas, bem ao lado de um jasmim,
Flores rubras, delicadas, é você minha querida!!!

Apolinário P.O.Filho.
/////////////////////////

Meu Amor:

Se você é uma Cruz, meu amor
Já estou sem embaraço,
Eu vou viver como Cristo,
Quero morrer em seu braços.
=============================
Não posso te dar

Não posso te dar o Sol
Pra te aquecer minha querida,
Mas posso dar meu calor,
Pra me querer  por toda vida.

Você merece o infinito
E vou levá-lo,
Por que vou tê-la,
Seus olhos são tão bonitos
(Agora falo),
Como as estrêlas!

Declaração de Amor

Quando você sentir vontade de caminhar por aí, me chame que eu caminharei do teu lado.

Quando você sentir vontade de sorrir, me avise que eu venho para sorrirmos juntos.

Quando sentir vontade de ter um grande amor, me chame que eu serei o teu amor maior ainda.

Quando achar que o mundo é grande demais só para tua alegria, me avise que eu o faço pequeno para a sua felicidade.

Quando precisar de carinho e de afagos, me diga, pois o levarei tudo isso em dôbro pra você.

Quando estiver precisando de alguém para te dizer “eu te amo”, me chame que eu te direi a qualquer hora.

Um amor igual ao nosso, sempre reavivará em tom de liberdade, do pode tudo e é capaz de transceder a eternidade, que é o de amar demais e muito mais.

Meu Anjo, você é a luz da minha inspiração, é o bálsamo  do meu querer:  querer te beijar, te abraçar, te ter em meus braços,te ter ao meu lado para sempre.

Querida, saiba que nos dias de calor, você é a fonte do amor que me refresca, e nos dias frios você é o fogo da paixão que me aquece.

Saiba que eu te amo muito, meu imenso amor!

Dicionário Cigano

Babanón = Bonito (a).
Balichim = Pessoa gorda.
Bravanam = Pessoa Rica.
Calóm = Cigano.
Cardóm = Negro.
Fulis = Merda, Bosta.
Duve = Deus.
Duvesquidai = Meu Deus do Céu!
Gajim = Que não é cigano.
Jandim = Esperto (a).
Jungalóm = Feio (a).
Jurdinário = Polícia.
Pilim = Bêbado (a).
Raiar = Comer.
Ranipens = Fedor.
Rernam = Garoto.
Rerninha = Garota.
Xum = Mentira.

Quando Chove

Quando Chove

I

Quando chove meu amor,
Me acaba o calor,
Sei que é noite de verão.
Eu estou na madrugada,
O calor se acaba em nada,
E não se acaba a solidão.

II

Amanhece  e vem o dia,
Vem o Sol que irradia,
Então volta a se aquecer
Quase tudo à minha volta,
Nada, nada me importa,
Se eu não tenho você.

Estrib.

(A solidão da madrugada,
(E o Sol do Meio Dia.
(Onde está a minha amada,
(Onde está a chuva fria.

Apolinário P.O.Filho

Aeroporto de Lisboa PT,
02/11/12

4.3-7 0 2 4/ 4.3-7 0 2 4 / 0.5-12/
5.3-9 2 4 5.2-/ 5.3-9 2 4 5.2-/
2.4-3.2-4/4.3-7 0 2 4 /4.3-7 0 2 4/
0.2-1 0.3 (12)/ (12.2)-(14) (12) (11) (12) 9 7 /
(12) (11) 7.2 9 4 2 /2 4 5 2 (11) (12).